Sem culpa por não ser produtivo de manhã

21 de março de 2021

Sem culpa por não ser produtivo de manhã

Por Marcelo Miranda
Conselheiro ABRH e CEO da Consolis Tecnyconta

Precisamos falar sobre como manter uma rotina produtiva responsável

Já ouviu falar naquela famosa frase “perca uma hora de manhã e você irá passar o resto do dia procurando por ela”? Apesar de fazer certo sentido para um grande número de pessoas que gostam de acordar cedo, é preciso também se lembrar do risco que corremos quando seguimos esses “moldes perfeitos” de gestores produtivos.

No livro “Clube das 5 da manhã”, de Robin Sharma, a autora cita exemplos de líderes que madrugam, como Richard Branson (Virgin) e Jeff Bezos (Amazon). É interessante que essa prática funcione bem para esses gestores. Mas há pessoas que simplesmente não se adaptam a esse molde.

Há líderes que têm manhãs “arrastadas”, principalmente as de segunda-feira. Segundo Marcelo Miranda, conselheiro da Associação Brasileira de Recursos Humanos e CEO da Consolis Tecnyconta, “há gestores que têm um desempenho ruim durante as manhãs,sabem disso e trabalham melhor ao fim do dia. Eles evitam marcar compromissos importantes logo cedo e encontram o próprio caminho para ter um dia produtivo.

Constância da produtividade
“Seja qual for o horário que cada um tenha para se levantar, acredito que manter a constância dos hábitos, inclusive os de saúde, faz uma diferença enorme na produtividade, pois ela não acontece sozinha”, aponta Marcelo. O planejamento da rotina continua sendo necessário para sabermos como priorizar tarefas e inserir cada uma delas no dia a dia.

Gestores precisam ser flexíveis
A sociedade funciona a partir de determinadas regras e convenções. Segundo Marcelo,não precisamos de mais uma exigência para que as pessoas acordem cedo para produzir mais. Esse é um exercício, inclusive, para gestores aceitarem o ritmodos colaboradores.”Estamos vivendo um período de muitas transformações e oportunidades de mudanças nas empresas. E algumas delas podem promover alterações nos horários comerciais de trabalho, de forma que o foco seja muito mais na produtividade e menos no relógio”,sugere Marcelo.

“Liderar pelo exemplo não é achar que todos devem imitá-lo”. Afinal, gestores precisam ouvir, aprender a ser flexíveis e compreender que o colaborador que acorda tarde, pode simplesmente ter um pico de produtividade à tarde ou até no fim do dia. Se isso for condizente com o tipo de trabalho exercido, perfeito. O que faz diferença é a pessoa encontrar seus próprios hábitos e sua rotina de produtividade e desenvolvimento.

Sobre Marcelo Miranda

Marcelo Miranda é CEO da Consolis Tecnyconta na Espanha, filial do grupo multinacional francês Consolis. É engenheiro civil pela UFMG, com MBA em Stanford e especializações em Harvard, Columbia e Singularity University. É um executivo reconhecido na criação de inovações que levam ao desenvolvimento sustentável e foi, durante oito anos, CEO da Precon Engenharia. Marcelo faz parte da lista dos 10 CEOs de destaque do Brasil com menos de 40 anos pela Revista Forbes Foi ainda eleito Executivo do Ano pela Revista Encontro em 2015 e é conselheiro de empresas, da ABRH e do Capitalismo Consciente.