RH em Pauta

8 de maio de 2020

Mães e suas carreiras

*Tito Borges

No mundo corporativo os empregados buscam ascensão profissional ao construir carreiras que tenham longevidade e possibilitem conquistas pessoais. No início dos tempos este objetivo era notoriamente uma ambição masculina, mas na sociedade contemporânea é comum a todos os gêneros.

A mulher ao longo do tempo conquistou seu espaço na sociedade e nas empresas. Por natureza tem uma força muito grande, e quando realmente sabe o que quer usa essa força para caminhar e seguir em busca de seus objetivos.

Nenhuma novidade até aqui, mas o fato é como lidar com as questões diárias, que sempre irão existir em ser uma boa profissional e mãe.

Conciliar a carreira materna com a vida profissional é um desafio constante. A luz de qualquer obstáculo, as mães vem se destacando no mercado de trabalho e existem pesquisas que comprovam este “dom” de estar presente em diversos lugares ao mesmo tempo, ou seja, não desconectam dos cuidados maternos e aprimoram suas competências profissionais.

Em pesquisa realizada para a Microsoft, 62% das mães que trabalham afirmaram ter se tornado melhores na realização de multitarefas após tornarem-se mães. Outras 46% disseram sentir melhora na gestão do tempo e 27% se tornaram mais organizadas. A mesma publicação aponta que os empregadores também concordaram com a máxima onde, 29% viram o trabalho das empregadas melhorar e 35% perceberam melhora em habilidades multitarefas.

O resultado desta pesquisa demonstra o valor das mães em nossa sociedade capital, ou seja, a “dupla jornada” que realizam esta preenchida com qualidade, alto desempenho, improviso e organização.

Os filhos trazem uma mudança na vida da mulher e um convite ao crescimento. As mães tomam a responsabilidade da criação aplicando a razão, aprimoram suas habilidades de comunicação, ampliam conhecimentos e utilizam argumentos técnicos para a interação.

Desenvolvem a capacidade de desembaraçar situações desconfortantes ou novas que exigem conceitos modernos e soluções imaginativas, para as quais não têm precedentes.

Com o trabalho provêm seus filhos com recursos necessários para o desenvolvimento pessoal, educacional e lazer. Administram os recursos de forma a gerar valor a todos.

Analisando as diversas facetas intrínsecas a carreira “mãe”, podemos afirmar que melhor profissional não há e ainda, para as empresas, não existe curso intensivo e ao mesmo tempo constante que prepare tão bem um profissional para o mercado.

Não é por acaso que as mulheres estão assumindo cada vez mais responsabilidades, destacando-se com mérito ao assumir posições estratégicas no mercado de trabalho.

E se perguntarem qual seria um exemplo de sucesso em suas carreiras, acredito que a resposta é única: um sorriso, um abraço finalizado com o “eu te amo mamãe” e para os que ainda não falam, basta um olhar de carinho.

 

*Tito Borges é executivo de recursos humanos e atua com gestão de carreiras e remuneração desde 2006. Graduado em administração de empresas, com especialização em gestão de negócios (FDC) e gestão criativa de negócios (FGV/IED), atualmente cursa Teologia intensiva (PUC).