Coluna Conexão RH | Jornal O Tempo

13 de janeiro de 2020

Faça por merecer a sua felicidade

Que 2020 seja rico em novas e recompensadoras conquistas!

 

*Por Eliane Ramos

Acredito que, como muitas pessoas mundo afora, já revi o mais belo clássico do cinema, “It’s a Wonderful Life” (“A Felicidade não se Compra”), a estória do bondoso George Bailey, que, na noite de Natal, pensa em se suicidar por conta das maquinações do homem mais poderoso da cidade, mas é salvo pelas orações daqueles a quem sempre ajudou e pela intervenção divina de um espírito candidato a anjo, Clarence, que espera há 220 anos para ganhar asas. “Ele está doente?”, pergunta o espírito convocado para ajudá-lo. “Pior. Está desanimado”, responde a voz celestial.

É natural, na virada para um ano novo, vivermos a semana de pensar a renovação e, com ela, as nossas esperanças são estimuladas, mas esse bom sentimento deveria se apresentar todos os dias.

À noite, carregamos os nossos celulares. Imagine, da mesma forma, reabastecermos as nossas energias com qualidade de sono, dormindo bem, pelo menos as oito horas que os especialistas recomendam. Praticar atividades físicas com regularidade e cuidar da alimentação igual às boas notícias que publicamos nas redes sociais.

Será que estamos cuidando melhor dos nossos celulares e das nossas redes sociais, ou buscamos primeiro a saudável conexão com nós mesmos? Ninguém vai te admirar se você não se gostar. É a oração de São Francisco: “Amar que ser amado, pois é dando que se recebe. É perdoando que se é perdoado”.

Exercite a compaixão: ninguém quer te fazer infeliz; coloque-se no lugar do outro; cultive um propósito, pratique o amor, enxergue com os olhos do coração. A minha tristeza pode contaminar o bem-estar da minha família e dos colegas de trabalho, mas a minha alegria contagia.

Conviver nem sempre é fácil. Talvez as desconexões pesem muito na sensação de infelicidade. “O inferno são os outros” ? Não sejamos intolerantes, assumamos as consequências das nossas atitudes e a certeza de que somos responsáveis pelas nossas ações. Tenha paciência com os que estão mais lentos para se conectarem de alma aberta.

Estamos aqui no mundo para coisas mais importantes, mas, sobretudo, para deixá-lo melhor do que o encontramos. Quando realizamos pelo trabalho, somos tomados daquele mesmo sentimento da criança que sonhou com o Papai Noel e acordou com o seu presente materializado… Mágica da vida! É a verdade do pensamento freudiano: “Obtém-se o máximo de felicidade quando se consegue intensificar suficientemente a produção de prazer a partir das fontes do trabalho psíquico e intelectual”.

Infelizmente, assim como nosso Vinicius de Moraes cantou, “a felicidade tem a vida breve, precisa que haja vento sem parar”. Nem todo trabalho nos traz somente alegria e prazer, por isso também as habilidades vocacionais que cada um traz dentro de si precisam ser renovadas.

Há uma escola, um manual de procedimento para nos ensinar o que precisamos desenvolver nas nossas habilidades, para os trabalhos não inventados ainda? Embora não exista regra de ouro, alguns caminhos nos levam com mais chances à felicidade. “Conhece-te a ti mesmo”. Invista em você. Fortaleça a sua resiliência. Surpreenda. Precisamos de pessoas sábias, com grande capacidade de competência interpessoal. É o predicado de ouro, pensamento critico, habilidade analítica e muito altruísmo para vivermos juntos e melhores.

Ouço os meus clientes, eles buscam profissionais que consigam trabalhar com pessoas diferentes, que apresentem a solução antes de o problema surgir. A arte humaniza e evoluciona. Em 2020, tenha mais: leitura, cinema, teatro, música, viagens, trabalho, e, fundamental, amigos. O diploma de experiência de vida é o diferencial que forma o seu potencial de sucesso.

Ame a vida, descubra-se e, como o George Bailey do clássico natalino, perceba a sua importância, valorize as suas relações e as tantas outras almas que você toca, para que o seu anjo da guarda possa te agradecer com o mesmo bilhete que Clarence escreveu: “Querido George, lembre-se, nenhum homem é um fracasso quando tem amigos, obrigado pelas asas”.

Querido leitor, faça por merecer a sua felicidade, e que 2020 seja rico em novas e recompensadoras conquistas!

*Eliane Ramos é presidente da ABRH-MG. Este artigo foi publicado originalmente no jornal O Tempo em 03/01/2020