A jovem mulher no mercado de trabalho

A jovem mulher no mercado de trabalho

*Por Marcelo Nóbrega

Não é de hoje que falamos sobre o espaço conquistado pelas mulheres no mercado de trabalho e esse assunto volta inevitavelmente à tona no mês em que lembramos o Dia Internacional da Mulher, seja por meio de celebrações ou de luta. E estamos longe de ter um assunto batido ou esgotado, pois ainda há espaço para aprimorar esse tema dentro das empresas, principalmente quando falamos dos desafios de uma faixa etária que poucas organizações estão preparadas para receber: os jovens. E acolher a jovem mulher, então, torna-se uma dinâmica ainda mais trabalhosa.

Isso, porque essa menina traz consigo todas as transformações pelas quais o gênero está passando. E se o local de trabalho não atende a certas expectativas, não há criação de vínculo profissional. E para conseguir manter e alcançar posições de liderança, é importante que o profissional receba incentivo e apoio desde o início da sua jornada de trabalho – independente do gênero.

No McDonald’s, o plano de carreira é apresentado no primeiro dia: de atendente a treinador e passando a gestor em diversos níveis. Atualmente, mais de 57% dos atendentes da nossa rede são mulheres jovens no início de carreira, com idades entre 16 a 25 anos, um baita orgulho. São elas que realizam o atendimento dos mais de 2 milhões de clientes que visitam os nossos restaurantes diariamente.

Também estamos atentos às questões de vulnerabilidade das jovens, que podem acabar engravidando sem planejamento. Para que isso não seja tabu ou motivo para interromper a carreira – muito pelo contrário – nosso programa gestante foi desenvolvido para garantir que a futura mamãe passe por esse período de maneira tranquila.

O projeto, voltado tanto as colaboradoras do escritório quanto do restaurante, prevê o acompanhamento da funcionária por uma equipe médica durante toda a gestação, absorve os custos das despesas médicas com consultas e exames e, nos restaurantes, cuida para que a gestante exerça atividades sem risco para bebê. Um programa com essa amplitude se faz necessário quando uma empresa decide, verdadeiramente, acolher jovens mulheres para o seu quadro de funcionários.

A capacitação, incentivo e desenvolvimento de carreira são fundamentais para fazer com que cada vez mais mulheres sejam reconhecidas no mercado de trabalho. Possibilitar emprego para a mulher jovem e oportunidade de crescimento refletem diretamente no crescimento da própria empresa.

*Marcelo Nóbrega é diretor de Recursos Humanos do McDonald’s Brasil

By | 2018-03-09T17:38:49+00:00 março 9th, 2018|Sala de Leitura|0 Comments

Leave A Comment